domingo, 13 de setembro de 2009

II Seminário Nacional de Educação da Ação da Cidadania

Mesmo sem pensar em ser professora comecei a pesquisar sobre educação e pedagogia em 2007. Neste segundo semestre de 2009 fui convidada para participar do projeto da UFRJ MAR , em Macaé(RJ) - projeto interdisciplinar que acontece na Escola Municipal de Pescadores . Minhas atividades começaram há um mês(dou aula de oficina de música e Prática de Comunicação Social e Artes). Diante da realidade, vi um abismo entre a teoria e a prática. Então procurei textos e bibliografias que pudessem guiar meus passos. O prefessor Samuel Araújo(UFRJ) e o Instituto Paulo Freire (IPF) são algumas das minhas referências.

Ontem participei do Seminário de Educação no Galpão da Ação da Cidadania, onde estava presente o professor Moacir Gadotti do IPF. Trancrevo aqui algumas palavras dele:" A Escola Pública Popular começou em 1980 com Paulo Freire, em São Paulo. A Escola Cidadã tem como objetivo levar os sonhos para dentro dela e aprender com ela o exercício da cidadania. Tal escola aponta as necessidades populares. Ela é ética, pois mostra os caminhos da justiça e da estética. Cria um ambiente que ensina. Cidadão vem da palavra Civis(latim), isto é, dono de um pedaço(aquele que decide sobre o que é seu). Sem ler e escrever não há cidadania.

A escola que conhecemos hoje, nasceu burocrática com o capitalismo(há 200/300 anos). A informação deve circular para que se construa esse novo modelo de escola, uma escola de companheiros(companis - divide o pão). A Cidadania Planetária precisa de conectividade, companheirismo e novos valores(quietude, sustentabilidade). Para acontecer a conquista, há resistência e conflito. Devemos discutir os temas que nos interessam, o conhecimento proveniente da experiência nossa. É necessário que haja renda mínima e educação para todos. Esta é força da cidadania na qual acreditou Betinho, Paulo Freire, Anísio Teixeira, Florestan Fernandes, Perceu Abramo, Darcy Ribeiro, Maurício Andrade, etc.

A Escola cidadã forma líderes sociais, é diferente dessa educação que nos educa para trabalharmos individualmente. É um trabalho em rede. Depende de informação, comunicação e educação. Há uma ação programada e requer avaliação permanente. É um trabalho intelectual-orgânico de um outro mundo possível). A comunidade precisa abraçar a escola, ser gestora.Com amor se constroi cidadania. É um projeto democrático que envolve alunos e professores conscientes(professores que despertam o desejo de aprender, apresenta narrativas sedutoras). A escola tem um projeto fundamentado numa eco-pedagogia: nós somos a Terra - a gente não veio ao mundo, nós somos o mundo. Precisamos acreditar em nós mesmos. "



Um comentário:

  1. Olá Flávia,

    Nós, da Ação da Cidadania, agradecemos sua participação no seminário e esperamos que tenha contribuído com sua formação.

    Forte abraço, Norton Tavares.

    ResponderExcluir